MÊS DO ORGULHO LGBT, TU TENS ORGULHO MESMO?

Imagem via Google

Eis que chega o mês de junho, mas não são as festas juninas que perderemos, pelo isolamento social, que me deixam triste por não poder participar. Mas sim os eventos do Mês do Orgulho LGBTQIA+ que deixaremos de presenciar e passaremos a ter, em menor escala, em lives. Porém, não vou descrever exatamente sobre isso, mas sobre algo além de eventos, que é essencialmente o que se divulga nessas situações. Também não vou relembrar como toda nossa luta começou, lá na revolta de Stonewall há mais de cinquenta anos. Mas vou nos lembrar de ideais nascidos nesse período e nos eventos gerados por ele, as Paradas do Orgulho.

Quero levantar uma questão ao leitor: tu tens orgulho dos teus amigos LGBTs? “Claro, os trato da melhor forma e somos muito amigos e etc” alguns responderão, mas quero levar isso a outro nível. Orgulho é um abraço maior e mais caloroso que isso. Refarei a pergunta de forma, talvez, mais clara: tu compartilhas o trabalho, defende os ideiais, participa ativamente defendendo a causa ou prestigia teu amigo LGBTQIA+? Esse é o ponto onde creio que aperta o sapato quando o assunto é “amigo de LGBTs”. Ter na roda de amigos é muito fácil. Já não é sacrifício. Mas tu defendes os LGBTs, comprando briga mesmo, se tiver de comprar, mesmo quando teu amigo(a) não está presente na rodinha de conversa?

Vou dar um exemplo prático, pra ajudar a clarear ideias. Quando tô em almoço de família, jantar, o que seja e algum parente começa com o discurso “não sou racista, mas…” eu já interrompo na hora e o mostro que o condicional “mas” já nos diz que o que segue a frase é ou será contraditório. Tal qual dizer que não é racista e ser anti cotas e achar que é balela. Assim, também vejo muitos amigos de LGBTs que “não são contra, mas…” e dizem absurdos como “ser gay tudo bem, mas não seja uma bichona”, “tudo bem amar alguém do mesmo sexo, mas não precisa beijar em público”… Essa lista de frases de homofobia velada pode ir longe. Mas retorno ao foco: tu defendes o LGBTQIA+ além de dar oi, abraço e falar por rede social? Tu apoia aquele amigo que se monta de drag, indo a shows ou compartilhando seu conteúdo? Aliás, tu tens ou teria amigos drags?

Quero crer que eu estou rodeado de amigos de verdade, que entendem minha luta e abraçam a causa por inteiro. Mas tem pequenos detalhes e comentários que me mostram, às vezes, que a gente ainda precisa educar muito as pessoas em relação a nossa comunidade e tudo mais que envolve o LGBTQIA+. Epero que aproveitemos esse mês para, não só parabenizar o amiguinho no Dia do Orgulho LGBT (28 de junho), mas para consumir mais LGBTs, compartilhar conteúdo esclarecedor sobre a causa e buscar sermos mais “orgulhosos” de nossos conhecidos LGBTs. Se tu estás disposto a isso, parabéns, tu és um bom amigo e participa do Orgulho LGBT. Gratidão!

DIA MUNDIAL DE COMBATER A LGBTFOBIA, JUNTOS!

Foto via Freepik

Nem todos sabem, mas dia 17 de maio é o Dia Mundial do Combate a LGBTfobia. É uma data para celebrar nossas diferenças e trazermos para a discussão o preconceito contra esta minoria, contra a nossa minoria. Hoje é um dia marcado históricamente para promover a luta pela causa LGBT e levantar debates e discussões sobre preconceito e crimes de ódio contra os nossos.

A data é referência simbólica da luta pelos direitos de nossa comunidade, uma vez que coincide com o dia em que a Organização Mundial da Saúde (OMS) deixou de considerar a homossexualidade como doença. “A gente comemora o ganho do reconhecimento, mas isso ainda tem que ser apropriado por todos os aparelhos da sociedade para entenderem que a transexualidade, a travestilidade e a homossexualidade não são doenças, mas parte do comportamento humano; é preciso compreender que não é uma opção”, diz Tathiane Aquino de Araújo, presidenta da Rede Nacional de Pessoas Trans (Rede Trans Brasil).

Hoje, em todo o país, acontecem diversas lives (por motivos de isolamento social) promovidas em redes sociais LGBTs e institucionais, com a finalidade promover o orgulho LGBTQIA+ e difundir nossa luta contra preconceito e crimes de ódio contra os nossos. Eventos musicais oline e também debates são promovidos para legitimizar a causa e fazer da data um marco nas redes sociais.

No Ceará, a data é o marco para Semana Janaína Dutra de Promoção do Respeito à Diversidade Sexual e de Gênero, instituída pela lei 16481/17. O estabelecimento desta semana visa divulgar a legislação de combate à Homofobia, Transfobia, Bifobia e Lesbofobia – LGBTfobia, promover o respeito à diversidade sexual e de Gênero, estimular reflexões sobre estratégias de prevenção e combate à LGBTfobia e sobre os tipos de violência contra a população LGBT, como a moral, psicológica e física. É visado também conscientizar a comunidade acerca da importância do respeito aos direitos humanos e sobre os direitos da população LGBT e divulgar os canais institucionais e de denúncias por telefone e apresentar os equipamentos de denúncias e acolhimento no âmbito do Estado do Ceará.

É inegável que esta data é de extrema necessidade e será para sempre. Mas o problema é que não temos nada a “celebrar”, como alguns eventos sugerem. Pois, mesmo com uma porção de direitos adquiridos, o Brasil segue como o país que mais mata LGBTs no mundo. Sim, nem em países onde ser LGBT é crime os índices de morte são tão altos quanto os nossos. Sendo assim, a data é de extrema importância para nossa visibilidade e para que mais gente se volte para a causa, fortalecendo nossos elos contra a barbaridade que é a LGBTfobia. E tu, já divulgaste a causa LGBTQIA+ hoje?

VIVA A RESSURREIÇÃO

Imagem via Google

Hoje, domingo de Páscoa, feriado tradicionalmente cristão, algo que não sou, a maior parte da população celebra o renascimento de Cristo. Isso só me lembra uma coisa que aprendi com os ensinamentos cristãos que me foram passados na minha infância: todos renascemos inúmeras vezes ao longo da vida.

Renascimentos se dão diariamente e após períodos específicos da vida, isso nos torna mais fortes e sábios, Se tu venceste uma doença difícil, tu renasceste. Se tiveste um período de crise financeira e saiu dessa, pois é, amigo, tu nasceste novamente. Se tiveste problemas com depressão, ou ainda tens e luta contra isso, tu renasceste e renasces todos os dias ao acordar e manter-se firme e forte. Se tu és uma mãe solo e luta pela sobrevivência de tua família, tu, além de uma guerreira, és uma pessoa que renasce a cada sacrifício. Se tu és negro e sofre na pele o racismo que o Brasil carrega de quatrocentos anos de escravidão, tu sempre serás uma fênix, de tanto que renasces. Se tu és LGBTQIA+, em nosso país, que é o de maior índice de mortandade por crimes de LGBTfobia, tu renasces toda vez que chegas com vida em casa, seja grato.

Ao longo de uma vida a gente enfrenta tanta coisa. É tanto cair e levantar, tanta apunhalada da vida, que nos faz sangrar e definhar, por vezes por dias, pra sofrermos com a morte de quem éramos e nos tornarmos uma versão melhor e superior disso. Isso nos torna seres que morrem e renascem quantas vezes necessárias em uma mesma existência.

Que a data de hoje sirva pra nos lembrar disso. Lembremos que somos altamente capazes de superar nossas mortes nos tombos, falhas, fracassos e lições da vida. E que encaremos cada desafio superado como um renascimento. Afinal, cada um sabe a cruz que carrega por ser quem se é.

Lembremos também que, embora estejamos vivendo um período de introspeção, onde nos isolamos socialmente e nos afastamos de quem amamos por um motivo nobre, de mantermos nossos corpos saudáveis e vivos, ao término disso todos renasceremos com os aprendizados deste período. Enfim, que viva o renascimento de cada um de nós, toda a vez que a vida nos cobrar morrer e renascer.

DIA NACIONAL DO ORGULHO GAY

Imagem via Freepik

Eis que chega o dia 25 de março, o Dia Nacional do Orgulho Gay. Hoje é a data oficializada já há alguns anos para que celebremos quem somos. Gays, lésbicas, bissexuais e transexuais de todo o páis mobilizam-se hoje, desta vez apenas nas redes sociais #FicaEmCasa, a promover nossa causa expondo o orgulho de ser quem se é independente de nossa natureza sexual e, por meio deste movimento, levantando a bandeira da luta contra a homofobia.

Muito já foi conquistado até aqui, como a criminalização da LGBTfobia, o fim da criminalização da homossexualidade e das penas correlatas, fim do tratamento das identidades trans como patologias, fim dos tratamentos de “cura gay”, casamento civil igualitário, permissão para casais homoafetivos adotarem crianças e até maior representatividade da comunidade nos meios de comunicação. Entretanto, a homofobia no Brasil segue sendo assustadora, tendo indicativos de que nosso país é o país que mais mata LGBTQs no mundo, chegando a fazê-lo três vezes mais que o segundo lugar da lista, o México.

Por isso se faz necessário que nossa luta seja lembrada em datas como essa e diariamente. Temos que, cada vez mais, conscientizar a sociedade de que por trás de nossa natureza sexual existe algo que nos assemelha a toda e qualquer pessoa vivente: somos reles mortais, simples seres humanos. Nossa existência é tão importanate para a sociedade quanto a vida de qualquer outro ser vivo.

Por séculos tivemos de viver nas sombras. Fomos por muito tempo marginalizados, o que fez com que muitos de nós vivesse, e muitos ainda vivem, uma vida dupla para tentar seguir supostas normas de convívio social de uma sociedade opressora e preconceituosa. Mas não podemos mais e nem queremos mais fugir de quem somos e de poder viver e demonstar nosso amor como todo e qualquer cidadão.

Celebremos hoje nosso direito de ir e vir, nossa capacidade sermos únicos, independentemente de quem amamos ou mantemos relacionamentos. Hoje, muito mais do que uma data para dizer “eu tenho orgulho de ser gay”, é uma data para os demais dizerem “eu respeito, aceito e tenho compaixão com o meu próximo diferente de mim”. Se mantivermos esta energia e abraçarmos nossas diferencas eu acredito que o mundo que John Lennon nos sugere visualizar na letra de Imagine será possível. Como diz Gisele Bundchen: “se podemos sonhar, podemos realizar”.

RETORNO: #carnaval ou CarNãoVou

Sim, eu estou vivo. Apos uma semana ressurgi pra ficar. Mas não, este não é um post de crônica nova. Este é apenas um post de sinal de vida, aviso de que após uma semaninha sem dar sinal, estou retomando as postagens tais quais eram antes (terças, quintas e domingos).

Também proveito o espaço para desejar que divirtam-se nessas duas noites restantes de Carnaval. Aproveitem ao máximo com os migues e crushs. Não façam nada que eu não faria, ou seja, TÁ TUDO LIBERADO rs rs.

Aos que, assim como eu, são do bonde dos “CarNãoVou”, desejo que aproveitem seu lar doce lar da melhor forma e ainda os presenteio com uma playlist daóra que fiz pensando só nos classicos de axé, samba, pagode e sei lá eu mais o que. Mas todos eles tem algo especial em comum, são da década de 1990, quando eu ainda era uma criança viada que se divertia ao som desses hinos ahazando baphonicamente nas festas de família. Enfim, é isso. Curtam as festas, bebam com moderação, ou não, usem camisinha e não transem com bolsominion que a culpa cai pegar certo depois que rolar. Xo Xo a gayzinha do blog rs.

29/01 – DIA NACIONAL DA VISIBILIDADE TRANS

Bandeira Trans e suas lindas cores

Visando atender a “população T” de nossa sigla LGBTQIA+, em 2004, após a realização da campanha “Travesti e Respeito” foi oficialmente estabelecido pelo Ministério da Saúde que o dia 29 de Janeiro marca o Dia Nacional da Visibilidade Trans. Desde então órgãos públicos relacionados realizam eventos em todo o Brasil levantando a bandeira Trans como foco.

Como não poderia deixar o dia voltado a essa parte muito importante de nossa comunidade em branco, decidi fazer um post sobre, mas desta vez um pouco diferente. Então, apenas pontuarei e apontarei alguns dados e fatos relevantes sobre a população Trans. Eis aqui alguns deles:

  • A bandeira Trans, diferentemente da nossa coloridíssima LGBT, possui três cores: rosa, azul e branco. O azul significa o masculino, o rosa representa feminino e o branco nos apresenta a transição entre os gêneros.
  • A população Trans é ainda a parte da comunidade LGBTQI+ que mais sofre LGBTfobia, parte disso reflete diretamente em seus altos índices de prostituição, por não ter brecha para entrada no mercado de trabalho, o que faz com que grande parcela desse grupo de nossa comunidade fique á margem da sociedade por total exclusão e falta de devida assistência.
  • Curiosamente o Brasil é o país com maior índice de procura por pornografia envolvendo trans e travestis, ao mesmo tempo em que é o mais transfóbico do globo, tendo três vezes mais de casos de transfobia que o segundo colocado, o México.
  • Entre 2016 e 2018, segundo uma pesquisa apontada pelo documentário Quebrando o Tabu no Canal GNT os casos de transfobia geraram mais OITOCENTAS mortes, isso sendo apenas os casos de que se tem notícia, pois os números podem assustadoramente maiores.
  • Infelizmente a estimativa de vida de uma pessoa Trans é de apenas 35 anos de idade, dada tamanha vulnerabilidade a crimes fatais de ódio.

EM PORTO ALEGRE

Em POA tem evento em grande estilo realizado pela  Unidade de Direitos de Diversidade Sexual e de Gênero da Secretaria de Desenvolvimento Social e Esportes (SMDSE) em parceria com o Sindicado dos Registradores do Rio Grande do Sul (Sindiregis) e a Rede Gay Brasil., como noticiado em post meu no (gay.blog.br). Durante o dia ocorrem diversas ações destinadas a comunidade LGBTQIA+ visando a visibilidade Trans, dentre ela emissão de documentos, palestras com convidados e shows.

Acontece também no evento oficial Porto Alegrense o lançamento no estado do aplicativo Tialu, que visa a prevenção da violência contra LGBTQI+. O app já encontra-se disponível para ser baixado na Google Store neste link.

App disponível na Play Store

ONDE E QUANDO

Hoje das 8h às 20h
Avenida Sepúlveda, s/n (em frente ao SINE Municipal de Porto Alegre) – Centro
Porto Alegre, RS

Programação:
8h – 17: Atendimentos do Sine e SindiRegis
11h – Palestra com Marcus Augustus Castropil
14h – Palestra com Glória Crystal
16h às 20h – Shows e lançamento do aplicativo Tialu

NO JOSEPH’S CAFÉ BAR

O espaço Joseph’s Café Bar, aberto apenas há um mês, já é sucesso absoluto com o público LGBTQIA+, público este que é o principal do estabelecimento, e fez com que o café bar se tornasse já o queridinho de muitos da nossa comunidade. O local nasce do sonho conjunto de três amigos de longa data, os lindos e queridos Israel Alves, João Martins e Priscila Colombo, que visualizaram o estabelecimento por um longo tempo até sua abertura, no final de Dezembro de 2019.

O Joseph’s realiza esta semana uma promoção visando contemplar a população LGBTQIA+ e, também, dar mais visibilidade a causa Trans, causa adotada pelo local desde sua abertura. Então, somente esta semana, clientes concorrem a um sorteio de um calendário anual do coletivo Drag Porto Alegrense PICUMANAS e um vale consumo no valor de R$ 50,00. Quer mais? O estabelecimento estará agraciando, somente HOJE, 29 de Janeiro, os primeiros 100 clientes com um agradinho. Lembrando, o local funciona das 10h às 21h.

Ofertas preparadas pelo Joseph’s especialmente para esta semana.

Fontes: gay.blog.br, documentário Quebrando O Tabu (Canal GNT) e Joseph’s Café Bar.

  • Para acompanhar os lançamentos de novas crônicas, semanais e postagens do universo LGBT, acompanhe o Monologay nas redes sociais:
    facebook.com/monologay
  • CONTATO: braian.hype@gmail.com
  • Me acompanhe também em meu instagram:
    instagram.com/braianavilla